Devocional

Dia 26: Filho de Rispa

Houve, em dias de Davi, uma fome de três anos consecutivos. Davi consultou ao Senhor, e o Senhor lhe disse: Há culpa de sangue sobre Saul e sobre a sua casa, porque ele matou os gibeonitas.

2 Samuel 21:1

 

Todo este capítulo 21 conta uma história de “cortar o coração”. Vou fazer aqui um brevíssimo relato; quando Josué entrou na terra prometida, os textos contam que os povos ali ficaram aterrorizados pois sabiam que o Deus de Josué era terrível e que todos os povos de Canaã pereceriam diante do exército do Senhor. Por causa disso, os gibeonitas agiram de falsidade e enganaram Josué que deu sua palavra que jamais seriam mortos os gibeonitas (quando Josué soube que foi enganado não os matou pois não podia, mas os deixou como servos na terra). Muitos anos se passaram e quando Saul foi rei ele matou os gibeonitas e por causa da “palavra empenhada quebrada” a maldição veio sobre o povo de Deus nos dias do rei Davi.

 

 

Davi chamou os gibeonitas para saber o que fazer e eles então pediram 7 homens da casa de Saul para serem enforcados em resposta a todos quantos foram mortos do seu povo. Foram escolhidos os cinco filhos da filha de Saul, Merabe e os dois filhos que Saul teve com sua concubina Rispa e foram enforcados…

 

Então, Rispa, filha de Aiá, tomou um pano de saco e o estendeu para si sobre uma penha, desde o princípio da ceifa até que sobre eles caiu água do céu; e não deixou que as aves do céu se aproximassem deles de dia, nem os animais do campo, de noite.

2 Samuel 21:10

 

Bem mais que 2000 anos se passaram dessa história, mas ainda hoje presenciamos perseguições e até mortes por causa de parentescos. Existem vezes que as perseguições são equivocadas, mas outras não.

 

 

Não sabemos nada sobre aqueles filhos de Saul, e para Rispa isso não importava, pois não deixou a imagem dos filhos desprotegida.

 

 

Espero que esta não seja sua realidade, mas quantas vezes comparamos ou vimos filhos sendo comparados pejorativamente aos maus hábitos dos pais, dos avos, dos tios, seja lá qual parentesco invoque?

…. Ruim como fulano …. Estúpido como beltrano….

Ou ainda: esse meu filho não dá para nada…. Ou ainda: sabia que ia dar nisso!

 

 

Amadas, somos chamadas para proteger, cobrir, guardar.

Rispa não deixou os “abutres” chegarem perto dos seus filhos, estavam expostos, porém protegidos!

Então lembremos sempre: mesmo na exposição; proteja!

 

 

Quando Davi soube o que Rispa fez, deu aos sete enforcados um enterro digno e mais ainda; mandou buscar os ossos de Saul e Jonatas para os dignificar também.

 

 

Vamos iniciar uma oração agora, mas o final dela só você sabe!

Senhor, me perdoe por todas as vezes que eu expus meu filho sem o proteger. Lancei sobre ele as murmurações a respeito de parentescos e não são a verdade sobre ele. Pai, agora te peço: dignifica minha oração em favor do meu filho, pois eu quero honrá-lo com estas palavras de benção: .(..fale as qualidades de seu filho lançando sobre ele as benção decorrentes dessas qualidades, especifique as bênçãos…), Em nome de Jesus, Amém!

 

 

Pra Simone Martins

 

 

 

Por questão de segurança, em breve seus comentários serão avaliados e liberados por nossos voluntários de comunicação

2 comentários em “Dia 26: Filho de Rispa”

  1. Fiquei imaginando a cena de Rispa protegendo seus filhos ali já mortos. Que tristeza. Nós temos a oportunidade de instruir e proteger nossos filhos com vida!! Nos ajuda nessa missão Espírito Santo ! 🙏🏻

    1. simone cristina martins

      terrível imaginar mesmo Larissa! que mulher posicionada! E assim devemos ser; posicionadas no ensino e declaração da Palavra!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *