Devocional

Dia 28: Filho de uma Disputa

A primeira “manifestação da sabedoria do rei Salomão, foi assim:

Então vieram duas mulheres prostitutas ao rei, e se puseram perante ele. E disse-lhe uma das mulheres: Ah! senhor meu, eu e esta mulher moramos numa casa; e tive um filho, estando com ela naquela casa. E sucedeu que, ao terceiro dia, depois do meu parto, teve um filho também esta mulher; estávamos juntas; nenhum estranho estava conosco na casa; somente nós duas naquela casa. E de noite morreu o filho desta mulher, porquanto se deitara sobre ele. E levantou-se à meia-noite, e tirou o meu filho do meu lado, enquanto dormia a tua serva, e o deitou no seu seio; e a seu filho morto deitou no meu seio. E, levantando-me eu pela manhã, para dar de mamar a meu filho, eis que estava morto; mas, atentando pela manhã para ele, eis que não era meu filho, que eu havia tido. Então disse a outra mulher: Não, mas o vivo é meu filho, e teu filho o morto. Porém esta disse: Não, por certo, o morto é teu filho, e meu filho o vivo. Assim falaram perante o rei. Então disse o rei: Esta diz: Este que vive é meu filho, e teu filho o morto; e esta outra diz: Não, por certo, o morto é teu filho e meu filho o vivo. Disse mais o rei: Trazei-me uma espada. E trouxeram uma espada diante do rei. E disse o rei: Dividi em duas partes o menino vivo; e dai metade a uma, e metade a outra. Mas a mulher, cujo filho era o vivo, falou ao rei (porque as suas entranhas se lhe enterneceram por seu filho), e disse: Ah! senhor meu, dai-lhe o menino vivo, e de modo nenhum o mateis. Porém a outra dizia: Nem teu nem meu seja; dividi-o.   1 Reis 3:16-26

No final, o rei Salomão entendeu que a mãe verdadeira não suportaria ver o filho morto, por isso o entregou para ela. Em todo o discurso vemos que de forma eloquente e verossímil falava a “mentirosa”. Talvez, se não tivéssemos a continuidade da história diríamos que o filho era da mentirosa mesmo. Perceba que a mãe verdadeira pouco falava, mas foi quem se pronunciou para a vida. Preferia o filho vivo mesmo longe dela do que morto. Vi um artigo[1] sobre o porquês da mentira: tirar vantagens e privilégios, por autodefesa, baixa autoestima, por causa de controle, por medo de desapontar, por inclusão para fazer parte de um determinado grupo, também aumentar a verdade incluindo coisas no relato que não aconteceram, mas de qualquer forma, mesmo havendo um “suposto motivo”; não há razão na mentira, portanto não pode ser acatada. Se quiser, pesquise e anote versículos que repreendem a mentira.

 

Então, se você identificou alguma semelhança com o comportamento do seu filho em relação a mentira, ore a esse respeito rejeitando toda forma de mentira nas atitudes dele, mas também, está na hora de confrontar mesmo que seja muito duro para você fazer isso. Busque um desses versículos que pesquisou e converse com seu filho “na Palavra” aprendi isso com uma pastora querida pois:

Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração.  Hebreus 4:12

Em oração peça a Deus a palavra eficaz e corrija em amor. Lembra da mãe verdadeira? “Melhor vivo longe de você do que morto pela mentira” – Não tema, depois de curado o coração sarado se voltará para você!

Pra Simone Martins

 

[1]  Fonte: https://www.psicologosberrini.com.br/terapia-cognitivo-comportamental/porque-pessoas-mentem/Autor: Thaiana Filla Brotto/Psicóloga PUC-PR, pós-graduação pela USP em Terapia Comportamental e pós-graduanda em Terapia Cognitiva Comportamental pelo ITC.

 

Por questão de segurança, em breve seus comentários serão avaliados e liberados por nossos voluntários de comunicação.

 

2 comentários em “Dia 28: Filho de uma Disputa”

  1. Alvacelis TWOREK BAGGIO

    Está semana Deus livrou meu filho caçula , pois caiu de moto mais Deus cuidou enquanto deslizava com a moto ele disse que orou então quando caiu teve um pequeno ferimento na perna mais graças a Deus está bem Glória a Deus! Obrigado Senhor!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *