Devocional

Dia 39: O filho Rufo

Saudai Rufo, eleito no Senhor, e igualmente a sua mãe, que também tem sido mãe para mim. Romanos 16:13

A história de Saulo de Tarso, então Paulo revela a sua intensa atividade missionária e apostólica. Muitas localidades, muitos nomes e muitas e variadas situações são citados. Os relatos do apóstolo Paulo são inclusive orientadores para compreensão histórica dos fatos nos primórdios da igreja do Senhor Jesus. O apóstolo Paulo cita a mãe de Rufo como uma pessoa que o acolheu maternalmente. Mas, quem é Rufo?

Depois de o terem escarnecido, despiram-lhe a púrpura e o vestiram com as suas próprias vestes. Então, conduziram Jesus para fora, com o fim de o crucificarem. E obrigaram a Simão Cireneu, que passava, vindo do campo, pai de Alexandre e de Rufo, a carregar-lhe a cruz. Marcos 15:20-21

Dados históricos apontam que o Rufo citado por Paulo é este mesmo Rufo, filho de Simão Cirineu. Também dizem que a família de Simão Cirineu se converteu a partir deste dia. Apesar da riqueza de muitos detalhes nas narrativas de Atos dos apóstolos bem como das Epístolas, não encontramos a atividade da mãe de Rufo e porque Paulo a menciona desta forma. Bem, Paulo diz dela: “também tem sido mãe para mim”.

 

Talvez você está acompanhando este devocional sem ter carregado um filho no ventre, mas “tem sido mãe para alguém”. Ou ainda, mesmo tendo gerado filhos no ventre tem também “sido mãe para alguém” que não foi gerado por você.

 

Também, quando estamos em congregação é comum “cuidarmos” de “todos os filhos” como se fossem “todos nossos”. Atribuo também este sentimento ao descrito em Atos 4:32, a seguir:

Da multidão dos que creram era um o coração e a alma. Ninguém considerava exclusivamente sua nem uma das coisas que possuía; tudo, porém, lhes era comum.

Nossa oração de hoje é pela obra missionária que muitas “mães” tem como encargo diante do Senhor.

Senhor meu Deus e Pai, venho a Ti pedir que o Senhor abençoe todas as mães missionárias, que recebem filhos que não geraram, seja em qualquer situação. Pai eu te peço que as fortaleça e permaneça as usando como reflexo do seu amor e cuidado. Pai peço que jamais caiam em engano ou sejam enganadas por astúcias. Pai, a obra missionária não acabou ainda e o Senhor nos diz para pregar a tempo e a fora de tempo, e em todos os cantos. Pai tenho orado por meu filho todos estes dias, buscando que ele seja cada vez mais atraído e usado por ti, que se levante como o missionário que o Senhor nos fez, a cada um. E assim sendo Pai, que haja sempre onde quer que meu filho esteja uma “mãe missionária” que seja orientada por Ti para acolher o coração do meu filho. E quanto a mim, que eu também seja a “mãe missionária” colocada no lugar certo e hora certa, em nome de Jesus, amém!

Não negligencieis a hospitalidade, pois alguns, praticando-a, sem o saber acolheram anjos. Hebreus 13:2

Pra Simone Martins

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *